Antigo Testamento
Novo Testamento
Bíblia em Português (CAP) 1950

Provérbios 26

1

Como a neve no Estio e a chuva no tempo da ceifa, assim é imprópria a glória para um insensato.

2

Como pássaro que foge, como andorinha que voa, assim a maldição injustificada fica sem efeito.

3

O chicote é para o cavalo, o freio é para o jumento; e a vara, para as costas do insensato.

4

Não respondas ao insensato segundo a sua loucura, para não seres semelhante a ele.

5

Responde ao insensato segundo a sua loucura, para que ele não se julgue sábio.

6

Corta os pés e bebe aflições aquele que confia mensagens a um insensato.

7

As pernas dum coxo não têm força, assim também as sentenças na boca do insensato.

8

É como atar uma pedra na funda, o prestar homenagem a um insensato.

9

Como um ramo de espinheiro na mão de um bêbado, assim é uma sentença na boca dos insensatos.

10

Como seta que fere a quem quer que passa, assim é o que emprega um insensato ou um bêbado.

11

Como o cão que volta ao seu vómito, assim é o insensato que repete as suas loucuras.

12

Viste alguém que se julgue sábio? Há mais a esperar do insensato do que daquele.

13

O preguiçoso diz: «Anda uma fera no caminho, um leão na estrada!»

14

Como a porta gira sobre os seus gonzos, assim o preguiçoso no seu leito.

15

O preguiçoso mete a mão no prato, mas cansa-se de a levar à boca.

16

O preguiçoso julga-se mais sábio do que sete homens que respondem com bom senso.

17

É apanhar um cão pelas orelhas o intrometer-se em questões alheias.

18

Como um louco furioso que lança setas e dardos mortíferos,

19

assim é o homem que engana o seu próximo e, depois, diz: «Eu fazia isto por brincadeira.»

20

Sem lenha, o fogo apaga-se; assim, faltando o delator, acaba-se a questão.

21

Como o carvão para as brasas e a lenha para o fogo, assim é o intriguista para atear uma contenda.

22

As palavras do delator são como guloseimas: penetram até ao fundo das entranhas.

23

Prata não purificada, aplicada sobre barro, assim são os lábios ardentes e um coração perverso.

24

O homem que odeia, fala com dissimulação, mas, no coração, está maquinando enganos.

25

Quando ele te falar com amabilidade, não te fies nele, porque tem sete abominações no seu coração.

26

Aquele que dissimula o seu ódio, sob aparências fingidas, verá a sua malícia descoberta na assembleia.

27

Quem abre uma cova, há-de cair nela; e a pedra cairá sobre aquele que a rolou.

28

A língua mentirosa causa muitos males, e a boca aduladora conduz à ruína.

Portuguese Bible (CAP) 1950
Public Domain: Capuchinhos