João 2

1

Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galiléia, achando-se ali a mãe de Jesus.

2

Jesus também foi convidado, com os seus discípulos, para o casamento.

3

Tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm mais vinho.

4

Mas Jesus lhe disse: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora.

5

Então, ela falou aos serventes: Fazei tudo o que ele vos disser.

6

Estavam ali seis talhas de pedra, que os judeus usavam para as purificações, e cada uma levava duas ou três metretas.

7

Jesus lhes disse: Enchei de água as talhas. E eles as encheram totalmente.

8

Então, lhes determinou: Tirai agora e levai ao mestre-sala. Eles o fizeram.

9

Tendo o mestre-sala provado a água transformada em vinho (não sabendo donde viera, se bem que o sabiam os serventes que haviam tirado a água), chamou o noivo

10

e lhe disse: Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já beberam fartamente, servem o inferior; tu, porém, guardaste o bom vinho até agora.

11

Com este, deu Jesus princípio a seus sinais em Caná da Galiléia; manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele.

12

Depois disto, desceu ele para Cafarnaum, com sua mãe, seus irmãos e seus discípulos; e ficaram ali não muitos dias.

13

Estando próxima a Páscoa dos judeus, subiu Jesus para Jerusalém.

14

E encontrou no templo os que vendiam bois, ovelhas e pombas e também os cambistas assentados;

15

tendo feito um azorrague de cordas, expulsou todos do templo, bem como as ovelhas e os bois, derramou pelo chão o dinheiro dos cambistas, virou as mesas

16

e disse aos que vendiam as pombas: Tirai daqui estas coisas; não façais da casa de meu Pai casa de negócio.

17

Lembraram-se os seus discípulos de que está escrito: O zelo da tua casa me consumirá.

18

Perguntaram-lhe, pois, os judeus: Que sinal nos mostras, para fazeres estas coisas?

19

Jesus lhes respondeu: Destruí este santuário, e em três dias o reconstruirei.

20

Replicaram os judeus: Em quarenta e seis anos foi edificado este santuário, e tu, em três dias, o levantarás?

21

Ele, porém, se referia ao santuário do seu corpo.

22

Quando, pois, Jesus ressuscitou dentre os mortos, lembraram-se os seus discípulos de que ele dissera isto; e creram na Escritura e na palavra de Jesus.

23

Estando ele em Jerusalém, durante a Festa da Páscoa, muitos, vendo os sinais que ele fazia, creram no seu nome;

24

mas o próprio Jesus não se confiava a eles, porque os conhecia a todos.

25

E não precisava de que alguém lhe desse testemunho a respeito do homem, porque ele mesmo sabia o que era a natureza humana.