Bíblia em um ano
Julho 15


1 Crônicas 26:1-32
1. Eis as classes de porteiros: dos coreítas: Meselemias, filho de Coré, dos filhos de Asaf.
2. Filhos de Meselemias: Zacarias o primogénito, Jediael o segundo, Zebadias o terceiro, Jatniel o quarto,
3. Elam o quinto, Joanan o sexto, Elioenai o sétimo.
4. Filhos de Obededom: Chemaías o primogénito, Jozabad o segundo, Joá o terceiro, Sacar o quarto, Natanael o quinto,
5. Amiel o sexto, Issacar o sétimo, Peuletai o oitavo, pois Deus tinha-o abençoado.
6. Chemaías, seu filho, teve filhos que se tornaram chefes de família, pois eram homens valorosos.
7. Os filhos de Chemaías foram: Oteni, Rafael, Obed, Elzabad e seus irmãos, homens valentes, Eliú e Semaquias.
8. Todos eram descendentes de Obededom; os seus filhos e os seus irmãos foram homens vigorosos e qualificados para o serviço; eram ao todo sessenta e dois.
9. Os filhos e irmãos de Meselemias, homens valentes, eram em número de dezoito.
10. Hossa, dos filhos de Merari, tinha por filhos Chimeri, o chefe; não era o mais velho, mas seu pai fizera dele o chefe;
11. Hilquias o segundo, Tebalias o terceiro, Zacarias o quarto. Os filhos e irmãos de Hossa eram treze ao todo.
12. A estas classes de porteiros, aos chefes destes homens e a seus irmãos foi-lhes confiada a guarda para o serviço do templo do Senhor.
13. Deitaram sortes para todas as portas, pequenas e grandes, segundo as suas famílias.
14. Do lado do oriente, a sorte tocou a Chelemias. Deitaram sorte a Zacarias, seu filho, sábio conselheiro, e a sorte atribuiu-lhe o lado norte.
15. A Obededom e a seus filhos tocou o lado sul, onde estavam também os armazéns.
16. A Chupim e Hossa coube o lado oeste com a porta Chaléquet, sobre o caminho que sobe. Estes corpos de guarda correspondiam-se uns aos outros:
17. a porta do oriente estava guardada por seis levitas; a do norte por quatro, que se revezavam todos os dias; a do sul por quatro, igualmente revezados todos os dias; e quatro serviam, de dois em dois, nos armazéns.
18. No Parbar, a oeste, quatro no caminho e dois nas dependências.
19. Deste modo foram distribuídos os porteiros, que eram todos filhos de Coré e de Merari.
20. Os levitas, seus irmãos, guardavam os tesouros do templo e os tesouros das coisas sagradas.
21. Os filhos de Ladan, filhos de Gérson, descendentes de Ladan, tinham os jaielitas por chefes das famílias de Ladan, o gersonita.
22. E os filhos de Jaiel, Zetam e Joel, seu irmão, guardavam os tesouros da casa do Senhor.
23. De entre os ameramitas, jiçaritas, hebronitas e uzielitas,
24. Chebuel, filho de Gérson, filho de Moisés, era o intendente-mor dos tesouros.
25. De entre os seus irmãos, descendentes de Eliézer, cujo filho foi Reabias, seu filho Jesaías, Jorão filho deste, Zicri, filho de Jorão, e Chelomite, filho de Zicri.
26. Chelomite, pois, e seus irmãos eram os administradores de todos os tesouros consagrados pelo rei David, pelos chefes das famílias, pelos chefes de milhares e de centenas e pelos chefes do exército.
27. Eram despojos de guerra consagrados aos gastos do templo do Senhor.
28. Ali estavam também todos os objectos consagrados por Samuel, o vidente, por Saul, filho de Quis, por Abner, filho de Ner e por Joab, filho de Seruia. Todas estas coisas estavam sob a guarda de Chelomite e seus irmãos.
29. De entre os jiçaritas, estavam à frente dos serviços exteriores de Israel, como escribas e magistrados, Cananias e os seus filhos.
30. Hasabias, da família de Hebron, e os seus irmãos, homens valorosos, em número de mil e setecentos, governavam o território de Israel, a oeste do Jordão, em todos os negócios religiosos e civis.
31. Quanto aos hebronitas, cujo chefe era Jerias, no quadragésimo ano do reinado de David, fizeram-se pesquisas sobre as suas genealogias e as suas famílias e encontraram-se, entre eles, homens de valor, em Jazer de Guilead.
32. Jerias e os seus irmãos, homens valorosos, eram em número de dois mil e setecentos chefes de família. O rei David deu-lhes autoridade sobre os rubenitas, os gaditas e a meia tribo de Manassés em todos os negócios religiosos e civis.

1 Crônicas 27:1-34
1. Os filhos de Israel que, sob as ordens dos seus chefes de famílias, chefes de milhares e de centenas e seus oficiais, serviam o rei, chegando e partindo mensalmente, formavam divisões de vinte e quatro mil homens cada uma.
2. À frente da primeira divisão*, durante o primeiro mês, achava-se Jachobam, filho de Zabdiel, e a sua divisão tinha vinte e quatro mil homens.
3. Era da linhagem de Peres e comandava todos os chefes de tropa durante o primeiro mês.
4. À frente da divisão do segundo mês* estava Dodai, o aoíta; Miquelot era um dos chefes desta divisão que contava vinte e quatro mil homens.
5. O chefe da terceira divisão*, durante o terceiro mês, era Benaías, filho do sacerdote Joiadá, e tinha a seu mando vinte e quatro mil homens.
6. Este Benaías era o mais valoroso dos trinta e superava-os a todos. Amizabad, seu filho, era um dos chefes desta divisão.
7. Para o quarto mês*, o chefe era Asael, irmão de Joab, ao qual sucedeu seu filho Zebadias. A divisão contava vinte e quatro mil homens.
8. O quinto chefe*, durante o quinto mês, era Chamut, o zeraíta; a sua divisão contava vinte e quatro mil homens.
9. O sexto*, para o sexto mês, era Ira, filho de Iqués de Técua; tinha uma divisão de vinte e quatro mil homens.
10. O sétimo*, para o sétimo mês, era Heles, o pelonita, dos filhos de Efraim; a sua divisão contava vinte e quatro mil homens.
11. O oitavo*, para o oitavo mês, era Sibecai, o huchaíta, da família dos zeraítas; a sua divisão contava vinte e quatro mil homens.
12. O nono*, para o nono mês, era Abiézer de Anatot, dos filhos de Benjamim; a sua divisão contava vinte e quatro mil homens.
13. O décimo*, para o décimo mês, era Marai de Netofa, da família dos zeraítas; a sua divisão contava vinte e quatro mil homens.
14. O décimo primeiro,* para o décimo primeiro mês, era Benaías de Piraton, dos filhos de Efraim; a sua divisão contava vinte e quatro mil homens.
15. O décimo segundo*, para o décimo segundo mês, era Heldai de Netofa, da família de Oteniel; a sua divisão contava vinte e quatro mil homens.
16. Para as tribos de Israel, o chefe dos rubenitas* era Eliézer, filho de Zicri; dos simeonitas*, Chefatias, filho de Maacá;
17. dos levitas*, Hasabias, filho de Quemuel; da família de Aarão, Sadoc;
18. da família de Judá*, Eliú, irmão de David; da família de Issacar*, Omeri, filho de Micael;
19. da família de Zabulão*, Jismaías, filho de Abdias; da família de Neftali*, Jerimot, filho de Azeriel;
20. dos filhos de Efraim*, Hosaías, filho de Azazias; da meia tribo de Manassés*, Joel, filho de Pedaías;
21. da meia tribo de Manassés em Guilead*, Jido, filho de Zacarias; de Benjamim*, Jaassiel, filho de Abner;
22. de Dan*, Azarel, filho de Jeroam. Estes eram os chefes das tribos de Israel.
23. David não fez a relação daqueles que tinham menos de vinte anos, porque o Senhor prometera multiplicar Israel como as estrelas do céu.
24. Joab, filho de Seruia, começara a fazer este recenseamento, mas não o terminara porque isso atraiu a ira de Deus sobre Israel e, portanto, o número dos que foram contados não foi escrito nas Crónicas do rei David.
25. Azemávet, filho de Adiel, estava encarregado dos tesouros do rei; Jónatas, filho de Uzias, dos tesouros que havia nos campos, nas cidades, nas vilas e nas torres.
26. Ezri, filho de Calub, era superintendente dos camponeses que cultivavam a terra;
27. Chimei de Ramá, das vinhas; Zebadias, o chefamita, das adegas;
28. Baal-Hanan de Guéder, das oliveiras e sicómoros de Chefela; Joás, das provisões de azeite;
29. Chirtai de Saron, dos bois que pastavam em Saron; Chafat, filho de Adlai, dos bois dos vales;
30. Obil, o ismaelita, dos camelos; Jedias de Meronot, das jumentas;
31. Jaziz, o agareno, das ovelhas. Eram estes os intendentes dos bens do rei David.
32. Jónatas, tio de David, homem prudente e instruído, exercia a função de escriba. Jaiel, filho de Hacmoni, era educador dos filhos do rei.
33. Aitofel era também conselheiro do rei, e Huchai, o erequita, era amigo do rei;
34. vieram depois de Aitofel: Joiadá, filho de Benaías, e Abiatar. Joab era general do exército real.

Salmos 78:56-66
56. Mas eles puseram à prova e ofenderam o Altíssimo e não observaram os seus preceitos.
57. Transviaram-se e apostataram como seus pais, desviaram-se como a seta de um arco frouxo.
58. Irritaram-no nos lugares altos, provocaram os seus ciúmes com o culto dos ídolos.
59. Deus ouviu isto e indignou-se, e repudiou Israel com veemência.
60. Abandonou o santuário de Silo, a tenda onde morava entre os homens.
61. Entregou ao cativeiro a sua fortaleza e o seu esplendor na mão dos inimigos.
62. Entregou o seu povo à espada, irritou-se contra a sua herança.
63. Os seus jovens foram devorados pelo fogo, e as suas virgens ficaram por casar.
64. Os seus sacerdotes foram passados à espada, e as suas viúvas não choraram os maridos.
65. Mas o Senhor despertou, como que estremunhado, qual guerreiro vencido pelo vinho.
66. E feriu os seus inimigos pelas costas; infligiu-lhes eterna humilhação.

Provérbios 20:4-5
4. O preguiçoso não lavra no Inverno; procura no tempo da colheita, mas nada encontra.
5. Água profunda é a reflexão no coração do homem, mas o homem inteligente chega até ela.

Atos 10:1-23
1. Havia em Cesareia um homem de nome Cornélio, centurião da coorte itálica.
2. Piedoso e temente a Deus, como aliás toda a sua casa, dava largas esmolas ao povo e orava continuamente a Deus.
3. Teve uma visão, cerca das três horas da tarde, e viu distintamente o Anjo de Deus entrar, aproximar-se dele e dizer-lhe: «Cornélio!»
4. Fixando nele os olhos, cheio de medo, respondeu: «Que é, Senhor?» Respondeu o Anjo: «As tuas orações e as tuas esmolas subiram à presença de Deus, e Ele recordou-se de ti.
5. E agora, envia homens a Jope e manda chamar um certo Simão, conhecido por Pedro.
6. Está hospedado em casa de um curtidor chamado Simão, cuja casa fica à beira-mar.»
7. Quando o Anjo se retirou, depois de lhe falar, Cornélio chamou dois dos seus servos e um soldado piedoso, dos que lhe eram pessoalmente dedicados,
8. explicou-lhes tudo e mandou-os a Jope.
9. No dia seguinte, enquanto eles iam a caminho e se aproximavam da cidade, Pedro subiu ao terraço para a oração do meio-dia.
10. Então, sentiu fome e quis comer alguma coisa. Enquanto lhe preparavam de comer, foi arrebatado em êxtase.
11. Viu o Céu aberto e um objecto, como uma grande toalha atada pelas quatro pontas, a descer para a terra.
12. Estava cheia de todos os quadrúpedes e répteis da terra e de todas as aves do céu.
13. E uma voz dizia-lhe: «Vamos, Pedro, mata e come.»
14. Mas Pedro retorquiu: «De modo algum, Senhor! Nunca comi nada de profano nem de impuro.»
15. E a voz falou-lhe novamente, pela segunda vez: «O que foi purificado por Deus não o consideres tu impuro.»
16. Isto repetiu-se por três vezes e, imediatamente, o objecto foi levado para o Céu.
17. Atónito, Pedro perguntava a si próprio o que poderia significar a visão que acabara de ter, quando os homens enviados por Cornélio, tendo perguntado pela casa de Simão, se apresentaram à porta.
18. Chamaram e indagaram se era ali que se encontrava hospedado Simão, cujo sobrenome era Pedro.
19. E, como Pedro estava ainda a reflectir sobre a visão, o Espírito disse-lhe: «Estão aí três homens a procurar-te.
20. Ergue-te, desce e parte com eles sem qualquer hesitação, porque fui Eu que os mandei cá.»
21. Pedro desceu, foi ter com os homens e disse: «Sou eu quem procurais. Qual o motivo da vossa vinda?»
22. Responderam: «O centurião Cornélio, homem justo e temente a Deus, do qual todo o povo judeu dá bom testemunho, foi avisado por um anjo para te mandar chamar a sua casa e para ouvir as palavras que tens a dizer-lhe.»
23. Então Pedro mandou-os entrar e deu-lhes hospedagem. No dia seguinte, levantando-se, partiu com eles, e alguns irmãos de Jope acompanharam-no.